Menu

DISCOTERJ

Associação dos Dj's e Vj's no Estado do Rio de Janeiro

CNPJ: 28.009.124/0001-57

DJ DA VEZ, DJ QUE TEM ESTRADA TEM HISTÓRIA

08 JAN 2017
08 de Janeiro de 2017
Cientista DJ atualmente trabalhando nos estúdios do Marlboro DJ

Gostaria muito de entender como um simples apelido possa ofuscar o nome de batismo, que os pais tanto demoram em escolher, isso mesmo! E é exatamente isso o que acontece com os DJs. A maioria é identificada pelo nome artístico, e só fomos nos dar conta dessa evidência, através das redes sociais, que só aceitavam a nossa participação com o nome completo, caso os nossos dados fossem preenchidos corretamente.

E foi através dessa ocasião que muitas identidades foram reveladas no Facebook. Não há nada demais nisso, porém o apelido pontua mais que o próprio nome, tendo como exemplo o nome JORGE MARTURELLI. Mas, afinal, quem é ele? Seria um doutor, um advogado ou é um filho de uma família devota de São Jorge? Seja lá o que for o certo é que o JORGE comeu muita poeira na estrada, que o levaria ao encontro do seu justo e merecido apelido. O JORGE, não ficou esperando que um grande sonho caísse do céu e tratou de correr atrás, tornando o seu sonho em realidade e permanecendo próximo das pessoas, que de alguma forma, estariam envolvidas com as equipes de som, que já tinham entrado no mercado. 

E o que o JORGE poderia fazer? Que tal começar montando e desmontando o jogo de luz da equipe FURACÃO 2000? Ali ele conseguiu impressionar a todos com os constantes experimentos, até que um belo dia, o GILBERTO GUARANI, não teve dúvida e o apelidou de CIENTISTA.

Cientista DJ, o primeiro na parte inferior, da direita para esquerda, dando os primeiros passos como dj
Cientista DJ e o marcante figurino que celebrou o auge da DISCO MUSIC

Desde 1975, como frequentador dos bailes de Soul no Bangu A.C., ele, o JORGE, ficava fascinado com a arte da DISCOTECAGEM, sob os comandos do RONALDO DA LUZ. Reconhece nele a sua inspiração e a promessa de que um dia também seria um DJ. Todos nós que vivemos a era DISCOTECÁRIO, sabemos que não era fácil para ninguém. Era exatamente como hoje, só que foi aumentando mais e mais os pretendentes em ocupar uma cabine de som nas boates ou mesmo uma mesa de som de bailes realizados nos clubes e eventos, sob a própria responsabilidade e nesse caso, ao contrário do passado, fica difícil saber quantos DJs existem na atualidade, mas devemos lembrar que atualmente trabalhamos com uma estimativa que é resumida da seguinte forma: DJs Old School - DJs Novatos, antenados e exímios pesquisadores - DJs novatos sem experiência nenhuma, poluindo o mercado -  DJs fura olho - DJs relâmpago e assim vai. Na integra volto a dizer que não adianta ficar sonhando na frente da cabine de som de um amigo DJ, porque não é assim que você vai crescer; estude, pesquise e se informe. Foi isso o que fez o nosso DJ da vez.  .

Equipe Hollywood sob o comando do Cientista DJ
Cientista DJ fazendo referência a um dos álbuns lançados pela equipe Hollywood

O tempo passou e o apelido do JORGE foi ganhando mais força. Ninguém é apelidado de CIENTISTA, porque só faz merda e muito menos se torna conhecido no país como CIENTISTA DJ se for um borra botas. O GILBERTO GUARANI, detectando de imediato as qualidades do JORGE, não imaginava que ele seria tão talentoso nas pickups, o quanto era montando e desmontando jogo de luz.

Quando o pessoal da equipe SOUL LAZER, no ano de 1977 lançou a equipe HOLLYWOOD, no Bangu Atlético Clube, deu a oportunidade que o nosso amigo tanto queria, até porque, ele já tinha a manha e já discotecava. Ele, o GUARANI, só não sabia que estava diante de um ser que dificilmente deixaria de ser DJ, para continuar montando e desmontando jogo de luz.

Nessas alturas o JORGE deixou o seu nome de batismo na gaveta, dando lugar para o dono do pedaço, O CIENTISTA DJ, que não precisou abrir a boca para dizer que veio pra ficar, desde que fosse em Bangu.

Com o passar do tempo, embora muito conhecido e aclamado pelos fãs, sentiu na pele o gosto da famosa frase; puxaram o meu tapete. O LAURI LIMA, administrador da equipe HOLLYWOOD, tentou colocar outro DJ pra tocar no lugar dele, mas o público cativo do Bangu também eram admiradores do já afamado CIENTISTA DJ, e não deixaram barato, abafaram o som com estrondosas vaias e assobios, transformando a opção do administrador inviável. Foi uma só vez. Sem nenhum rancor, comentou que depois ficaram amigos e lamenta que ele já tenha falecido.

Mas em compensação, fala com muito orgulho do seu amado mestre CLAUDIO CARECA, que o ajudou a entender os mistérios da mixagem, aliás, não havia um só DJ que não quisesse aprender a mixar, acrescentando que o CARECA foi o maior mentor da ascensão dele e, repetiu por várias vezes que se não fosse a ajuda e a paciência do CARECA, o CIENTISTA DJ seria como os outros DJs, que apenas tocavam sem saber qual era o pulo do gato. O mesmo, sem dúvidas, tira quantas vezes for preciso o chapéu para o seu grande mestre. 

A verdade é que o CIENTISTA DJ coleciona um currículo invejável. Trabalhou nas rádios PANORAMA FM (Clube do Som) com o DJ IONES, na extinta Manchete (Club Express) e na e Imprensa FM. Tem oito álbuns lançados da equipe HOLLYWOOD mixados, com a produção dele mesmo, por diversas gravadoras, tem LPs mixados da equipe SONS E EFEITOS, LP da LAZER e THE BEST FUNK TOWN. Fez um medley da banda SUPERTRAMP, para o falecido CIDINHO CAMBALHOTA, da Polygram que foi todo editado no Brasil. Revelou, ainda, que teve muitas dificuldades, principalmente porque foi editado no estúdio, sem nenhum recurso, tudo na base do corte de gilete, porque ainda não tinha as facilidades dos softwares.

Envolvendo-se com a vida noturna de BANGU, aceitou o convite para ser o diretor Social do CASSINO BANGU, Diretor Social do BANGU ATLÉTICO, e diz que a história da sua vida está dentro desses dois clubes. Hoje, residindo em Mangaratiba, tentou a vida política como vereador, não tendo êxito nas eleições, mas deu pra entender como as coisas funcionam na política.        

Cientista DJ e o seu expressivo trabalho nos estúdios do Dj Marlboro

O CIENTISTA DJ trabalha para o DJ MARLBORO e acha maravilhoso, acrescenta que ele não trata ninguém como empregado e sabe escutar as pessoas, enfim, diz que trabalhar com ele é muito gratificante. Os dois já têm quase 35 anos de amizade e se dão muito bem.  Com o DJ Marlboro construiu uma relação de amigos presentes, até porque são vizinhos.

Aproveitei e perguntei-lhe como é trabalhar com o MARLBORO, e a resposta dele foi muito vibrante! Quando estão sozinhos, conversam muito sobre os cobiçados 30 mil discos de vinil do estúdio, falando, ainda, com muito orgulho das ocasiões que os dois conversam sobre músicas, e lembra que ao selecionar aleatoriamente qualquer vinil do acervo, que o MARLBORO dá um banho de informações.

Termina dizendo que é muito feliz por trabalhar com ele e não duvide, ele falou com muita emoção do seu amigo DJ MARLBORO.

Todas as informações foram colhidas com o próprio CIENTISTA DJ que gentilmente falou de tantas outras coisas, cujo teor, infelizmente, não pode fazer parte dessa matéria em virtude do espaço limitado no site,  mas de qualquer forma, foi ótimo esse papo com o CIENTISTA DJ.

By DJ Sandra Gal 

Voltar
Tenha você também a sua rádio