Menu

DISCOTERJ

Associação dos Dj's e Vj's no Estado do Rio de Janeiro

CNPJ: 28.009.124/0001-57

Dj testemunhando contra outro DJ

08 FEV 2017
08 de Fevereiro de 2017
Dj Márcio Araújo em busca dos seus direitos

Na manhã do dia 8 de Fevereiro, recebi o contato do DJ Márcio Araújo, queixando-se da atuação do companheiro de trabalho, que testemunhou contra ele na audiência do Ministério do Trabalho. Segundo ele, o "amigo" foi desleal e mentiroso ao testemunhar que o DJ Márcio Araújo só trabalhava dois dias na semana, ou seja: O profissional quando trabalha três dias em qualquer lugar, já é considerado como contratado, com todos os direitos, inclusive com carteira assinada, décimo terceiro, férias, adicional noturno e muitas outras coisas que o empregador tem que proporcionar ao funcionário. Isso é o mínimo, para que o trabalhador, até então um ser humano, possa ter uma vida digna.

 

O DJ Márcio Araújo está a beira de completar trinta anos de profissão, já tocou no Rio de Janeiro, São Paulo e no circuito internacional, na Passadena Radio Station, em Los Angeles. A sua volta ao Brasil deu-se por conta de um problema familiar, e ocasionalmente ocupou por dez anos a cabine de som de uma das mais polêmicas discotecas carioca, refiro-me a Help, em Copacabana, mas a fila anda e finalmente o DJ, iniciou o seu trabalho na boate Dolce Vita, onde trabalhou pelo período de seis anos. 

 

Bom, o fato ocorrido com o DJ, não é um fato comum, até concordo com ele, quando diz que nunca imaginou que um DJ fosse capaz de ir contra outro DJ, em um processo de ordem trabalhista. Realmente, isso é inacreditável, sabemos de DJs que se oferecem para testemunhar a favor do companheiro, mas testemunhar contra, até Deus duvida.

 

Não existe hipótese nenhuma de aceitarmos esse procedimento, fatos como esse merece ser divulgado e só não mencionei o nome do DJ que testemunhou contra o Márcio porque não escutei a versão dele. Da mesma forma que queremos ajudar os DJs que precisam dar voz para os seus problemas, também temos a responsabilidade de preservar a quem quer que seja, até que seja comprovada a sua culpa. Mas que fique claro que se realmente aconteceu esse fato, só temos a lamentar, porque além da profissão viver tempos de turbulência, ainda temos que conviver com essa triste realidade, DJ jogando contra outro DJ.

 

by DJ Sandra Gal
Voltar
Tenha você também a sua rádio